Inominável - Ano 2 Inominável Nº9 - Page 22

22

Aaah, que vista tão agradável, é pena que daqui a uns minutos vá estar toda a gente à batatada uns com os outros. Ao menos este jogo não tenta esconder que no fundo somos todos uns filhos da mãe que dada a possibilidade matariam sem misericórdia qualquer gajo ao seu lado. Virtualmente, claro.

Não vejo ninguém a descer aqui ao pé de mim, mas acho que com o pára-quedas não chego onde queria. Vou ali para aquela fazenda, aquele armazém deve ter cenas fixes.

Ui uiuiui, com calma agora, e....

Óptimo, aterrei na boa, mas agora tenho de esperar um bocadinho até o ambiente 3D ser carregado a sério. Neste momento parece algum tipo de arte abstracta. Não é que eu goste ou desgoste de arte abstracta, mas prefiro um edifício no qual eu consiga entrar, e não um que parece ter sido concebido pelo Salvador Sobral... ai, disparate... o Salvador Dali!... Enfim, é o hábito, nos dias de hoje não se ouve outra coisa.

Playerunknown's

Battlegrounds

por Rei Bacalhau

Bom, a maioria do pessoal já deve ter saltado. Muitos já lá devem ter chegado abaixo. Ainda bem, estes lados ficam mais tranquilos. Está ali uma aldeiazita na costa, vou para lá.

Upa.