Inominável Ano 2 Inominável Nº8 - Page 55

A lenda diz que o topónimo da aldeia vem de longe, quando ainda havia ursos em Portugal e o lugar, abundante em água, era frequentado por pelo menos um exemplar da espécie. Verdade ou não, este animal é o ex libris da aldeia, e a sua imagem está por todo o lado nas mais variadas versões.

Conta também a história que esta foi zona de ocupação romana, e que por aqui passaram em 1385 os exércitos do Condestável a caminho da célebre batalha de Aljubarrota e mais tarde, no séc. XIX as tropas invasoras francesas. Bem comprovada que está a antiguidade do lugar, a aldeia de hoje certamente terá pouco a ver com a do passado. Típica aldeia serrana, com habitações em pedra e madeira, o trabalho de recuperação e requalificação de que tem vindo a ser alvo transformou-a num local florido, limpo e bem ordenado – uma espécie de postal ilustrado, que poderá desagradar a quem goste pouco de restaurações demasiado estéticas mas irá com certeza encantar a maioria dos visitantes. Rodeada pelo verde da serra, com ruas onde só aos habitantes é permitido o trânsito automóvel, sente-se no ar da aldeia o cheiro das árvores e das flores que trepam pelas paredes das casas, a maioria delas decoradas com pormenores fora do comum.

A Pia do Urso é também a “casa” do primeiro Ecoparque Sensorial do país, um agradabilíssimo percurso ao ar livre concebido a pensar nas pessoas invisuais e na possibilidade de apreensão do meio que nos rodeia através de sentidos como o olfacto, o tacto ou a audição.

Nº 8 - Junho 2017

Coordenadas: 39° 35' 51" N 8° 42' 51" O

59