Inominável Ano 2 Inominável Nº8 - Page 46

Em contraponto a esta imensa aldeia global em que o nosso planeta parece estar a tornar-se existe aparentemente, pelo menos na Europa, um crescente movimento de vontade de individualização, de necessidade da preservação de identidade cultural, de uma espécie de regresso às origens. Este movimento está a originar um ressurgir progressivo das aldeias portuguesas, quer pelo interesse de que são alvo por quem as visita, quer pela vontade de recuperação e repovoamento por parte de quem lá vive ou aí tem as suas origens.

Nos seus menos de 100 mil metros quadrados, o nosso país abriga inúmeras aldeias riquíssimas em história, tradição, gastronomia, cultura e património artístico, todas elas a merecerem atenção. Nalguns casos, a fama precede-as, e recebem milhares de visitantes por ano; noutros casos, há verdadeiras jóias praticamente desconhecidas da maior parte das pessoas, algumas delas abandonadas e em ruínas, outras cheias de vida e cor mas mesmo assim fora dos roteiros turísticos mais movimentados.

Estas são algumas das minhas preferidas.

VIAGENS

por Ana CB

50