Inominável Ano 2 Inominável Nº8 - Page 43

descritas coisas mais graves, como por exemplo em Londres, onde até casas de famílias polacas foram apedrejadas. O que me parece é que o referendo e o seu resultado são bons pretextos para algumas pessoas se tornarem mais agressivas e mais assumidas na sua discriminação; foi uma euforia na altura dos votos, e acredito que será daqui por dois anos, quando o período de transição estiver cumprido. Entretanto, até as pessoas que não o faziam, e que cá moram há anos, começam a ponderar os prós e os contras de se manterem por cá. Valerá a pena...? No tal panfleto, o que se tem a ganhar com o Brexit são coisas muito boas: o preço da comida torna-se mais baixo, o preço da luz e gás também, mais dinheiro para a saúde pública, e mais empregos e melhores salários para os trabalhadores do Reino Unido. Quanto a este último ponto, não tenho dúvidas de que haverá mais vagas de emprego. Quanto à descida dos preços nas compras, a minha carteira é testemunha do contrário, houve uma subida muito pouco meiga, e em muito pouco tempo... e recebemos um email simpático a informar da subida de preço da factura gás/luz... Sobre o NHS, do qual já aqui falei, nada tenho a acrescentar... provavelmente estas previsões são para daqui a alguns anos, e eu acredito que este país vai mesmo ter a capacidade de sair da crise que já se adivinha; talvez esta seja a oportunidade de o governo britânico educar as gerações seguintes para um estilo de vida mais saudável e produtivo.

Mas, tal como se educa um filho, há que ter um pulso forte e sentido de responsabilidade por quem depende de nós, pois o caminho não é muito fácil. Uma vez disseram-me, quando o meu filho tinha uns 10 anos: “não te preocupes, lá para os 20 tudo se torna mais fácil”. Lembro-me de fazer contas aos anos e de pensar “ninguém me disse que ia ser assim!”. Acho que assim será por aqui, o confronto com a realidade. Espero que venha a ser compensador, como o está a ser para mim o constante desafio da maternidade, pois seja como for o mundo é uma aldeia e, por muito que a gente pense que o nosso cantinho em nada é afectado pelo que lá fora se passa, estamos todos ligados, apesar das fronteiras criadas pelo Homem...

47

Nº 8 - Junho 2017