Inominável Ano 2 Inominável Nº8 - Page 36

por Golimix

36

Os humanos

e os seus servicinhos

Começarei esta coluna não a falar de animais, mas sim a falar de pessoas. E agora? Perguntam vocês, mas ela estará boa da cabeça?

Já vão perceber que antes de falar dos nossos amigos tenho mesmo de falar de nós, os humanos que os acolhemos.

Muitos se esquecem de que ter um animal não é só dar-lhe carinho, amor, passeá-lo, se for o caso disso, alimentá-lo e ter uma série de cuidados que levarão ao seu bem-estar e felicidade. Há que ter também uma certa responsabilidade cívica e compreender que o nosso gosto pelos bichinhos não pode incomodar os demais.

Por exemplo, ter um gato implica cuidados de higiene para que não existam maus cheiros, e se o gato sair deve-se cuidar para que ele não vá estragar jardins alheios e caçar o pássaro da vizinha! Como é lógico, para quem gosta de répteis há que compreender que não são os animais olhados da forma mais amistosa pelo resto da população; como tal, atentem para que não saiam do seu habitat em casa, e isso inclui as tarântulas, ok?

Mas é no facto de ter um cão que me focarei mais. Isto porque é gritante a existência dos “presentinhos” deixados nas ruas pelos companheiros humanos destes nossos amigos de quatro patas. E eles, que não têm culpa dos humanos que os passeiam, são proibidos de entrar em muitos locais e até de ir onde mais gostam. Tenho a certeza de que se existissem pessoas mais responsáveis os nossos amigos poderiam acompanhar-nos mais; como tal, vale a pensa pensar no assunto.

Vejam bem, não é difícil fazê-lo! É só dobrar um pouco a espinha, fazer um certo agachamento, o que faz bem, já que dá um certo tónus muscular, apanhar a caca e deitar no lixo! Para quem não gosta de apanhar com a mão dentro do saco existem pás próprias para