Inominável Ano 2 Inominável Nº6 - Page 57

Nº 6 - Fevereiro 2017

57

É precisamente aqui que reside a primeira grande decisão: qual o formato em que queremos guardar o nosso negativo digital? RAW (cru) ou JPEG (com compressão)? Pessoalmente não hesito, e escolho o formato RAW! O ficheiro JPEG está já altamente processado pela câmara e contém apenas, sensivelmente, 25% da informação da imagem. Na edição, se considerarmos o ficheiro JPEG, faltará a parte da informação que foi deitada no lixo. O RAW não tem esse handicap. No entanto, como em tudo, há um senão: é necessário muito mais espaço para guardar os dados. Por exemplo, para uma câmara de 20MP a mesma fotografia pode ter 5Mb se estiver em formato JPEG, e rondar os 25Mb no formato RAW. É uma opção que tem de ser tomada no momento da fotografia. Queremos ficar com apenas ¼ da informação, ou com a totalidade dos dados no nosso negativo?

A minha recomendação é de que fotografem sempre em formato RAW. Por ter fotografado algum tempo em formato JPEG, perdi a oportunidade de trabalhar algumas fotografias de modo a aprimorar o resultado final. Não esperem, como eu, por arrependimentos futuros, para que numa fase em que já dominem a fotografia e edição de imagem necessitem de dados que nunca chegaram a ter. Voltarei a este tema quando se abordar a edição fotográfica.

Uma das técnicas que nos permite transmitir sentimentos ou transportar-nos para os nossos imaginários é a velocidade de obturação.

Podemos criar congelamentos perfeitos dos motivos, ou exposições prolongadas, recorrendo aos arrastamentos dos motivos ou dos enquadramentos da fotografia.

Antes de uma abordagem à fotografia de modo 100% manual (a acontecer em próximos artigos), vou explicar os modos pré-concebidos pelos fabricantes das vossas câmaras. Seja Canon, Nikon, Sony, Pentax ou qualquer outra marca, todas as SLR’s(*) têm um modo denominado de “Prioridade à Velocidade”. Ou seja, o fotógrafo define qual a velocidade pretendida para criar a sua fotografia, e a máquina decide qual a abertura necessária, em função da quantidade de luz, para efetuar o registo. Esse modo surge no seletor de programas com a designação Tv nas máquinas Canon e com a letra S nas restantes.

(*) SLR (Single Lens Reflex) refere-se a máquinas fotográficas com sistema de espelhos semi-automático e pentaprisma.