Inominável Ano 2 Inominável Nº6 - Page 21

Nº 6 - Fevereiro 2017

21

Cara Maria da Encarnação,

Gostávamos desde já de a parabenizar pela coragem de se assumir perante o mundo. Não por ser gay, que isso hoje em dia já é normalíssimo, mas por se assumir devota de Deus, que já é uma coisa mais em declínio, sobretudo desde o filme do Mel Gibson – e nós aqui somos pela liberdade em qualquer sentido.

E liberdade é a palavra-chave. Acho que deve deixar a sua metade do pêssego (penso que aqui se adequa mais que a expressão metade da laranja) dar largas às suas tradições e abanicar-se. Se o fez no ano passado e nenhum santo caiu do altar (e o bombo do ti Manel continuou funcional) pode ser que até já a terra tenha adotado para si essa parte da tradição e a espere com mais ânsias que ao Natal.

O que propomos é que se prepare convenientemente para a ocasião, com uma visita à farmácia local. Compre anti-inflamatórios, vitamina C e calmantes.

Os anti-inflamatórios para as cruzes da Vanessa a seguir à sessão de abanicamento. A vitamina C para prevenir que se constipe, a tomar antes do corso. Os calmantes para si, naturalmente, para não se preocupar com a vergonha alheia e talvez lhe sobrem alguns que queira partilhar com o padre da terrinha ou com algumas senhoras que se sintam despeitadas, mas que no fundo sabemos que lhes falta é peças de fruta em casa, ao pequeno-almoço e à ceia. Até lhes pode sugerir que se perderam o gosto às bananas, o pêssego é uma fruta como outra qualquer, que até pode ajudar a desenjoar (imaginamos nós que sejam aquelas que estão sempre na primeira fila da missa com ar enjoado).

Uma outra preocupação sua a que ainda não nos dirigimos é a queda dos melões, já de si maduros. Lembre-se de que os melões crescem na terra e estão apenas a tentar retornar ao seu habitat natural, obedecendo à gravidade. Para que a Vanessa os jinga-jogue moderadamente lembre-se de a ajudar a apertar bem os cocos recorrendo, se necessário, à força do trator do Armindo para dar o nó cego.

Por último, para assegurar que Vanessa vai formosa e segura sem perder os dentes que trincam a fruta madura: aconselhe-a a deixá-los em casa.