Inominável Ano 2 Inominável Nº5 - Page 43

Sabemos que podemos controlar o tempo que deixamos passar a luz pela nossa objetiva até ao sensor. Poderemos também controlar a quantidade de luz? Sim, obviamente! É o segundo lado do triângulo: a abertura do diafragma!

As objetivas têm na sua construção umas lamelas que abrem ou fecham em função da quantidade de luz que deixamos entrar. Uma vez determinada a velocidade, podemos escolher a abertura mais ajustada às nossas fotografias. Essas aberturas aparecem referenciadas nas camaras como fX.Y. Não querendo maçar ninguém com a tabela onde se explica o que são f-stops de abertura, fico-me apenas por uma forma mais direta: Quanto maior for o número do vosso “f”, menor será a abertura da objetiva. Logo, menor quantidade de luz passa para o interior do sensor. Imaginem, por exemplo, que estão a regar um jardim com uma mangueira. Essa mangueira é larga na extremidade, e quando a água sai, tem um determinado caudal, relacionado com a secção da mangueira e com a pressão da água. Quando estrangulam a mangueira, aumentam não só a distância que a água percorre após sair do interior da mangueira, mas também a quantidade de água que sai. No fundo, e passando isso para uma terminologia mais fotográfica, passam de um f2.8 para um f7.1, por exemplo.

Nº 5 - Dezembro 2016

43

Muitas vezes vemos as fotos desfocadas, sinal claro de arrastamento dos motivos. Apesar de poder ser uma técnica, não se aplica como tal em todos os casos!