Informativo ABECO Informativo No 12 (mai-ago 2018) - Page 15

INFORMATIVO ABECO | Edição Nº 12 15 Museu Nacional: O que deu errado e o que o Brasil precisa fazer para assegurar seu próprio futuro OPINIÃO por Paulo A. Buckup Departamento de Vertebrados, Universidade Federal do Rio de Janeiro A causa da tragédia que se abateu sobre o Museu Nacional na noite do dia 2 de setembro de 2018 é inequívoca. Nos anos 80 construiu-se o prédio da Biblioteca do Museu Nacional. Em decorrência daquele investimento o acervo de cerca de meio milhão de volumes continua a salvo, incluindo sua importante coleção de obras raras. Nos anos 90 construiu-se o Pavilhão de Vertebrados. Como consequência todo o acervo científico do Departamento de Vertebrados, incluindo mais de um milhão de peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos continuam protegidos Museu Nacional em um prédio que conta com sistema de sprinklers abastecidos por um grande reservatório de água, portas corta-fogo, paióis para armazenamento externo de líquidos inflamáveis, alarmes e detectores de fumaça, assim como um laboratório molecular, um laboratório de radiografia digital e equipamentos ópticos avançados. No início deste século construiu-se um moderno prédio para proteger o precioso herbário do Museu Nacional. Por isto, o Departamento de Botânico inteiro permanece plenamente operacional. O próximo prédio a ser construído seria o pavilhão de invertebrados e entomologia, cujas maquetes já haviam sido apresentadas a ministros de estado no Palácio Capanema. Lamentavelmente o prédio não foi construído em decorrência da crise financeira que assolou o Brasil e resultou na interrupção do programa de construção de prédios de pesquisa e recuperação do Museu Nacional. O resultado do corte orçamentário imposto pelo Governo Federal à manutenção de seu patrimônio científico e histórico é inexorável: A coleção entomológica foi incinerada, o Departamento de Invertebrados foi