Informativo ABECO Informativo No 11 (jan-abr 2018) - Page 9

INFORMATIVO ABECO | Edição Nº 11 9 integrado de recursos naturais e gestão participativa com a população ribeirinha. Por Thomas Lewinsohn, especial para o Informativo Abeco A ABECO criou, neste mês de Com mais de uma centena de trabalhos publicados sobre ecologia ou conservação, Ayres teve seu esforço conservacionista reconhecido ao receber o prêmio Rolex na categoria Meio Ambiente, em 2002, além de ter sido mencionado com destaque em importantes veículos de comunicação internacional. Pela sua excelência científica na conservação da biodiversidade, a ABECO faz uma homenagem a este importante ecólogo brasileiro, ao registrar seu nome neste prêmio. O prêmio será anunciado no mesmo auditório na Unicamp em que o recém- doutor Márcio, há exatos 30 anos, apresentou palestra sobre "Predação de Sementes por Primatas" no Simpósio Internacional de Relações Animais-Plantas. março, o Prêmio Marcio Ayres para talentos em Ecologia e Conservação. O prêmio será concedido a/o estudante ou recém-doutor/a que seja primeiro/a autor/a do melhor artigo publicado na revista Perspectives in Ecology and Conservation no biênio anterior. A ideia do prêmio veio da comissão organizadora do 2º Rabeco/6º SET e foi abraçada pela diretoria da Abeco e editoria da PECON, sendo, a partir de agora, incorporada aos próximos eventos da Associação. José Márcio Corrêa Ayres (Belém, PA 21 de fevereiro de 1954 - Nova York, 7 de março de 2003), primatologista e conservacionista, dedicou sua vida à preservação da Amazônia. Márcio estudou biologia na USP em Ribeirão Preto, fez mestrado na USP e doutorou-se na Universidade de Cambridge, Inglaterra, em Abeco cria o Prêmio Marcio Ayres para Jovens Pesquisadores em Ecologia e Conservação 1986. Nos seus estudos sobre os macacos uacaris- brancos, verificou que estes animais não teriam chance de sobrevivência, a menos que novos modelos de manejo de recursos naturais fossem aplicados à bacia do rio Amazonas. A partir daí, fundou a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá em 1996, seguida pela Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã em 1998, ambas na Amazônia. Estas reservas tornaram-se exemplos de sucesso e modelos de manejo Concorrem ao Prêmio os jovens autores (com até 5 anos de doutoramento na ocasião da publicação) que tenham sido primeiro/a