Edição 562 Julho/Agosto revistaOE562_V2b_11OUT - Page 98

I n d ú s t r I a d e M á q u I n a s Implemento amplia alcance A escavadeira Liebherr da classe de 70 t, a R 964 C, teve braço e lança substituídos por implemento de maior alcance em uma mina de porte em Minas Gerais, para operar no desassoreamento de canais de rejeitos. Bacias de rejeitos são comuns em minerações e fazem parte do pro- cesso de benefi ciamento do minério de ferro. A conexão entre o local da retirada da água do minério e a bacia é feita através de canais, que pre- cisam ser limpos constantemente devido ao assoreamento frequente. Escavadeiras de apoio (ou infra) - chamadas assim por não trabalharem no processo produtivo direto -, destinadas à limpeza dos canais, estão sujeitas aos riscos que a instabilidade do terreno proporciona – sendo o local muito úmido e irregular. Por este motivo, os equipamentos que operam nestas condições devem fi car o mais distante possível das mar- gens do canal, e a escolha de um implemento de longo alcance mos- trou-se a solução para aumentar a segurança operacional. A princípio, a mineração trabalhava com escavadeiras menores, sendo elas terceirizadas (locação), em regime de dois turnos. Para tornar a atividade menos custosa, a equipe técnica da Liebherr foi chamada para avaliar a operação. Detentora da maior frota de R 964 C do Brasil, a mineração destinou uma dessas máquinas, que já tinha mais de 10 mil horas de operação, para o teste: o implemento origi- nal foi substituído por um novo, passando o alcance de escavação de 7,30 m de profundidade para 12,65 m. Para melhorar a estabilidade da máquina, foi adicionado um contrapeso HD, 3,5 t mais pesado que o padrão, e a caçamba foi substituída, passando dos originais 4,0 m³, para operação com minério, para 1,65 m³. Todo o processo foi homo- logado e acompanhado por engenheiros da Liebherr. Com a substituição e um investimento pequeno, a mineração pas- sou a operar a própria frota na limpeza dos canais, em regime de um turno, mantendo uma produtividade semelhante e ainda eliminando a necessidade de locação de máquinas. 96 | | J u l h o /A g o s to 2017 E�uipamentos mais versáteis A CZM, atuante na linha de máquinas para fundações, acaba de lançar equipamentos de pequeno porte de olho nas oportunidades neste segmento. O modelo MC150HC, equipamento para hélice contínua, é di- recionado às operações em terrenos pequenos, profundidade máxima até 12 m e diâmetros de 300 mm a 400 mm, com peso de 9 t. A versão foi de- senvolvida a partir de um modelo consolidado no mercado que é a MC150. Outro lançamento da marca foi o equipamento de sondagem SPT modelo MC100SPT. O equipamento automatizado substitui o antigo tripé, atendendo a nova norma que está para ser lançada no segmento. Ele tam- bém é compacto, e além da sondagem, executa tirantes e solo grampeado. Com o aumento da demanda de energia fotovoltaica, a CZM lançou ainda um equipamento compacto para operações de cravação de estacas para a instalação de painéis solares. O modelo não só faz a cravação de perfil de 6 m, mas pode operar com martelo de fundo em locais da obra onde ocorre rocha, além de outras funcionalidades em trabalhos de fundação e sondagem. Segundo a empresa, os novos equipamentos de fundações possibilitam ao cliente fazer um investimento menor e atender pequenas obras, em um momento onde há menos projetos de porte. Além disso, pode proporcionar para o cliente fi nal trabalhos automatizados, com maior produtividade e segurança dentro do canteiro. A CZM passou a exportar bastante nos últimos dois anos. Hoje, já envia equipamentos para mais de 27 países. Também criou novas estratégias de pós-venda e serviço nestes países. Ainda abriu uma uni- dade em Dallas, no Texas, Estados Unidos, de pós-venda e assistência técnica, que já presta atendimento a países como Colômbia, Equador e México. No Brasil, continua apri- morando as metas com relação aos prazos de atendimento e qualidade dos serviços prestados, com dispo- nibilidade de peças e mão de obra. Escavadeiras facilitam operação A qualidade das escavadeiras Link-Belt é referência no mer- cado, quando o assunto é o atendimento a uma obra emergen- cial, e o equipamento tem que trabalhar na potência máxima e sem paradas não programadas. Foi o que aconteceu em feve- reiro deste ano, quando as chuvas intensas causaram o rompi- mento de uma adutora de 800 mm de diâmetro, que abastece 50% da população de Sorocaba (SP). Cliente da Link-Belt, a Céu Azul Terraplanagem e Pavimen- tação foi acionada para trabalhar no reparo e empregou uma Link-Belt modelo 210X2. Com a interrupção do abastecimento de água e as chuvas intensas, a obra da adutora foi desafi adora. Nessas condições, a escavadeira Link-Belt auxiliou na execução de um acesso secundário para viabilizar a chegada da equipe até o local do reparo, já que o trecho onde houve o rompimento