Edição 562 Julho/Agosto revistaOE562_V2b_11OUT - Page 86

C o n s t r u ç ã o I n d u s t r I a l Forte �estão em riscos Quando criamos a Libercon colocamos dois conceitos em nosso DNA que prevalecem independentemente do tamanho da empre- sa ou do segmento de construção que ela atua: o foco irrestrito no cliente, com soluções sob medida e completas, e uma forte gestão de riscos com visão 360 graus, do ponto de vista de nossa empresa e do cliente também. Estes fundamentos esti- mularam o nosso apetite para enfrentar desafi os, dando condição para superá-los, mantendo sempre relações de extrema confi ança e lealdade. Neste curto período de 13 anos de operação - e mais de 2 milhões de m² construídos - não é difícil identifi car importantes marcos, mas o que mais nos orgulha de fato é o incrível histórico de 100% de performance de contratos e um altíssimo índice de recorrência dos mesmos, o que comprova que nossas crenças tem o reconhecimento do mercado. O primeiro grande trabalho e oportunidade dentro do segmento de indústria e logística aconteceu em 2007, para a Hines do Brasil, com o início da construção do Distribution Park Sol Louveira, em- preendimento com 57 mil m² de área edifi cada. Este projeto foi con- siderado um case de sucesso no cliente, quanto a atendi- mento, qualidade e custos; uma grata surpresa em uma empresa acostumada, até aquele momento, a contratar somente construtoras de longa tradição de mercado. Mais relevante que o nosso posicionamento no ranking nacional é o reconhecimento e satisfação de nossos clien- tes e parceiros, pela conduta e capacidade técnica, frutos de uma cultura empresarial responsável e de um corpo técnico de profi ssionais apaixonados, o que certamente nos dá se- gurança e capacidade de adaptação, para enfrentarmos os desafi os futuros de um mercado em constante evolução. *Hailton Liberatore é sócio-diretor da Libercon Engenharia A import�ncia do �erenciamento nos resultados A MIP Engenharia é uma empresa espe- cializada na execução de obras industriais e gestão de empreendi- mentos. Com mais de 50 anos de atuação no mercado de engenharia e montagem eletromecânica, com serviços especializados com grande qualidade e efi cácia, tornou-se uma das principais empresas do País. A MIP realiza projetos nos segmentos de petróleo, energia, mineração, me- talurgia, siderurgia, papel e celulose. O desafi o mais recente foi a participação na montagem eletromecâ- nica do Projeto S11D da Vale, em Canaã dos Carajás (PA). A estruturação e o desenvolvimento de um planejamento detalhado com base em uma Solução está no pro�eto básico O grande conhecimento teórico e prática têm mantido a EGT Engenharia atuante no mercado. A empresa mantém parcerias com empresas estrangeiras, embora pequenas, mas com boa estrutura. Fernando Stucchi, sócio da EGT, avalia que alianças com grandes corporações é diferente, pois seus serviços são muito caros, o que acaba não va- lendo a pena estar no Brasil. “E mais importante de tudo, o Brasil vai perder ainda mais a liderança do processo de projeto e construção aqui dentro”, avalia. Fernando não concorda ainda que projeto executivo 84 | | J u l h o /A g o s to 2017 estratégia diferenciada para a execução, aliado ao desdobramento e di- vulgação das metas, monitoramento e o controle efetivo da produção foram essenciais para o sucesso deste projeto. Como diferencial, a MIP desenvolveu toda a engenharia elétrica e de au- tomação das máquinas do pátio de produto fornecidas pela China, diferente de projetos semelhantes onde toda a engenharia é fornecida pelo cliente. Na realização deste empreendimento, a MIP Engenharia foi reco- nhecida pelo cliente como destaque em SMS entre as empresas de mon- tagem eletromecânica do projeto na Avaliação de Satisfação do Cliente, que leva em consideração diversos fatores como segurança, meio am- biente, planejamento, qualidade, gestão e relacionamento. A sinergia entre o planejamento e a execução, validado pelos resultados obtidos na obra confi rmaram a importância da gestão de projetos como ferramenta primordial para o sucesso na condução de empreendimentos. bem feito possa resolver por completo problemas de prazo e custo de obras. “Uma coisa fundamental nesse assunto é que o projeto ex ecutivo ótimo muda com a experiência, os equipamentos e a equipe da construtora. A melhor solução é um bom projeto básico, detalha- do com relativa liberdade pelo construtor. Deve haver abertura para mudanças, mas elas devem ser aprovadas com competência pelo contratante”, diz.