Edição 562 Julho/Agosto revistaOE562_V2b_11OUT - Page 84

C o n s t r u ç ã o I n d u s t r I a l Obras de peso em anos recentes Fundada em 1934, a Mascarenhas Barbosa Roscoe (MBR) completa 83 anos, o que faz dela a mais antiga construtora em atividade no Esta- do de Minas Gerais e uma das mais antigas do Brasil. Ao longo de sua história, realizou obras por todo o Brasil, nos setores privado e público, e nos mais diversos segmentos da engenharia, tais como: mineração, siderurgia, metalurgia, saneamento, químico, farmacêutico, ro- doviário, ferroviário, obras de arte especiais, habitação, hospitalares, geração de energia (usinas térmicas e hidroelétricas), comerciais etc. Nos anos recentes, a MBR executou grandes obras e venceu o desa- fi o de manter sua equipe, num período de grande demanda. Conseguiu, assim, garantir a performance, entregando suas obras, atendendo seus clientes, e mantendo resultados saudáveis na operação da empresa. As principais obras do período foram as obras civis para a implanta- ção da unidade de mineração da Anglo Ferrous em Conceição do Mato Dentro (MG); execução das obras civis para a Vale na Mina de Vargem Grande em Itabirito (MG); e obras civis dos pátios, área de manuseio e de embarque do porto de Ponta da Madeira para a Vale em São Luís (MA). Apesar do momento, a MBR continua implementando seus estudos, métodos e processos executivos, mantendo uma saúde fi nanceira robusta na travessia desse período de crise. Preserva-se, assim, em plenas condições para executar os desafi os que virão com a retomada do crescimento do país. 82 | | J u l h o /A g o s to 2017 Finlandesa foca em exportação de serviços A Pöyry no Brasil tem exportado seus serviços. Segundo Fábio Fonseca, pre- sidente da empresa na América Latina, o segmento vem sendo importante para a unidade brasileira em meio à escassez de projetos no País. A multinacional fi nlandesa possui um portfólio amplo que envolve o desenvolvimento de todo o tipo de projeto, desde estudos econômicos e de engenharia conceitual até gerenciamento de construção e montagem, além de projetos de operação. “Temos no Brasil uma mão de obra qualifi cada e com capacidade de de- senvolver trabalhos diversos no mundo, por conta da experiência nossa em pro- jetos complexos”, afi rma Fabio. Assim, a empresa no Brasil tem se envolvido em projetos da Poyry no mundo, inclusive enviando profi ssionais ao exterior. “Isso contribuirá muito com a receita local da empresa este ano”, cita o executivo. Sobre a atuação no Brasil, ele explica que o foco tem sido na indústria de processos, como papel e celulose (a empresa atuou na ampliação da Fibria, em Três Lagoas-MS), mineração, alimentação, químico, entre alguns outros. Na área de infraestrutura, outra frente de trabalho da empresa, ele aponta as áreas de portos e energia renovável com grande potencial. Fabio Fonseca avalia que o mercado de engenharia e construção passa por um momento de acomodação, mas que as grandes empresas globais continuarão investindo no Brasil por conta do tamanho de seu mercado. “Ninguém quer fi car fora dele”, afi rma. Por conta isso, o presidente da Pöyry vê um incremento em breve de investimentos no País. (Augusto Diniz)