Edição 562 Julho/Agosto revistaOE562_V2b_11OUT - Page 103

s a n e a M e n t o 2ª etapa de ampliação da ETE de Barueri (SP) termina at� dezembro Com investimento de R$ 390 milhões, a Sabesp ampliou a Estação de Tratamento de Esgotos de Barueri (SP), a maior da companhia. Com isso, a unidade passou a tratar o esgoto de mais 1,2 milhão de pessoas. A ETE, que processava 9.500 l/s, agora trata 12 mil l/s. Até o fi nal deste ano, será entregue a segunda etapa da ampliação, a cargo também da Construtora Passarelli. Com os serviços, a ETE passará a operar com capacidade para até 16.000 l/s de tratamento de esgoto. O projeto de ampliação teve início há quatro anos. Segundo a Passa- relli, atividades complexas da obra exigiram profundo estudo de soluções adequadas ao projeto da ETE Barueri. As principais construções da obra envolveram canal de grades (fo- ram acrescidas grades automatizadas para retirar sólidos com dimensões acima de 6 mm), caixas de areia (têm a função de evitar que areia infi l- tre no sistema de tratamento de esgoto), decantadores primários (escopo da obra abrangeu a execução de 6 tanques decantadores retangulares), edifício dos compressores (foram instalados três compressores de ar para auxiliar o sistema de ar existente), tanques de aeração (foram construídos oito tanques retangulares com cerca de 20.000 m³ cada), decantadores secundários (foram instalados seis novos tanques circulares com um diâ- metro de 46 m e um volume de aproximadamente 6.700 m³ cada), gra- deamento de lodo primário (após o recebimento do lodo proveniente dos decantadores primários, por bombeamento, este passa por dois sistemas de gradeamento), adensadores por gravidade (quatro novos tanques com diâmetro de 29 m cada), e gradeamento de lodo secundário (rece- be o lodo em excesso vindo dos decantadores secundários). Foram implantados também mais de 230 km de tubulações, entre interceptores, coletores-tronco e redes coletoras, que têm a função de re- tirar os efl uentes dos imóveis e transportá-los para a estação, em várias regiões atendidas pela Sabesp. As obras são fi nanciadas pelo Banco Interamericano de Desenvolvi- mento (BID), com apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econô- mico e Social (BNDES), e fazem parte do Projeto Tietê. www.revistaoempreiteiro.com.br | 101