Detectives Selvagens 2- Medo - Page 9

A fissura e o osso Sol existe, quanto mais experienciá–lo. Mandei uma queixa formal aos seus superiores, mas parecem–me tão insensíveis ao direito à privacidade como os seus subalternos. Dir–me–á que poderei sempre comprar um cão, daqueles assustadores e ruidosos, mas isso implicaria passeá–lo, alimentá–lo, até dirigir–lhe alguma espécie de carinho ou pelo menos de benovolência, mas não consigo ver nada de apelativo em algo, ou alguém, se assim o preferir, que tem como maior conquista lamber os próprios genitais. Mas regressando ao tema da nossa discussão. Será ingénuo da minha parte, ou talvez petulante, pensar que todos esses ideais estão lá para serem contestados, mesmo que no final venham a ser vistos como incontornáveis, ou talvez seja mais correcto dizer, os menos imperfeitos. Lá por comummente se aceitar que as rosas são vermelhas e a outra coisa é azul, isso não elimina... Espere um momento. Mas afinal o que vem a ser isto! Dia 2 Perdoe–me pela forma abrupta como terminámos ontem, mas juro–lhe que havia alguém a rondar–me a janela. Ouvi passos nervosos do outro lado da parede e um ofegar próprio das más intenções. Mas não quero que se preocupe. Telefonei de imediato para a polícia, apesar de que se não o tivesse feito a causa e o efeito continuariam extactamente os 9