Detectives Selvagens 2- Medo - Page 64

a.l.p. que tiveram bebés. Agora que penso nisso, acho que estava à espera de ver a minha mulher mais feliz depois do nascimento do bebé. Raramente a vejo sorrir, mas provavelmente é do cansaço. A licença de paternidade terminou ontem por isso estou de volta à empresa. O meu primeiro dia no escritório foi como um buraco negro, a atenção que devia ter dado ao trabalho foi sugada pela preocupação sobre o que estará ela a fazer em casa, sozinha pela primeira vez com o miúdo. Tenho demasiado sono para me conseguir concentrar em duas coisas ao mesmo tempo. As felicitações e comentários boçais dos colegas foram neutralizados pelo meu estado semi-comatoso. Não me consigo lembrar do que disseram, apenas sei que sorri muito para todos eles e disse “pois” mais vezes do que o razoável. Fiquei a matutar no que a psicóloga disse mas ainda não cheguei a nenhuma conclusão. Continuo sem perceber o que é que ela quis dizer com aquele “depois do que aconteceu”. Se se referia apenas ao parto ou se se estava a referir a um qualquer episódio particular da vida da minha mulher que eu desconheço. Não lhe perguntei directamente o que quis dizer com aquilo porque supus que não me iria responder, a treta do sigilo médico-paciente, já devia saber, 64