Detectives Selvagens 2- Medo - Page 61

poesia V Temo a pequenez, a pequenez dos dias, a pequenez do tempo, onde pequena nasci. Temo os inúmeros volumes, das inúmeras obras, que nas inúmeras prateleiras me fitam e que a pequenez do tempo não me permitirá amar. Temo falhar, novamente falhar, ser incapaz de conseguir. Temo o desconhecido que o amanhã me trará. Temo ao fim chegar e aquele amargo de boca de mim se apoderar. Temo a saudade, a saudade que o tempo me oferecerá, aquela saudade fria impossível de com um abraço mitigar. 61