Detectives Selvagens 2- Medo - Page 25

Red eyes, cold feet nascente, vindos do oriente. No entanto, para este apenas alguns minutos se haviam passado desde que vestira o sobretudo no quarto. A porta permaneceu imóvel, por mais tentativas que fizesse para abri-la, havia, inclusivamente, pousado no chão o livro que trazia debaixo do braço de modo a colocar as duas mãos na maçaneta e rodá-la. Dominado pela fome e pelo sono, ainda que temporalmente inexplicáveis para a sua mente, encontrava-se prestes a desistir, quando sentiu a maçaneta deslizar na sua pele, notando, depois, que a fresta que separava a porta da ombreira se tornava cada vez maior, arrastando-o consigo para trás em direcção à parede, primeiro devagar, depois com violência. Eram eles. Sentado contra a parede, reconheceu as feições de Henrique na sua direcção, pareceu-lhe que estavam mais dois ou três homens atrás dele, era inútil resistir, estava exausto, não valia a pena, pensou, enquanto cerrava os olhos e descia a cabeça até aos joelhos, sentido um metal frio no ouvido. 25