Date a Home Magazine | Jul / Ago / Set 2014 - Page 71

Entrevista | Arrendar Lisboa Com Paixão | REGIÕES

de contribuir.

Como atraem conceitos inovadores para estas lojas?

Para a Embaixada fui a todo o lado. Acho que acabou por se criar por seleção natural. Foram as marcas corajosas que quiseram juntar-se a este conceito. Hoje já temos o facebook, há mui-ta gente que contata.

Temos de acabar a comercialização do EntreTan-to e complementar a cave da Embaixada. Acho que alguns lojistas beneficiavam de parcerias, por exemplo, a VLA Records. Quem vai comprar um disco de música portuguesa gostava de sa-ber de história, arquitetura, boa literatura portu-guesa. A Teresa Lopes Alves não tem know how nessa área, mas podia ter uma parceria.

O Príncipe Real terá um Urban Club?

No Palacete Ribeiro da Cunha (Embaixada) está previsto haver uma componente de hotelaria. A ideia é criar o conceito de hospitality e que ele crie serviços para os residentes. Há um jardim enorme, que no fundo é o centro desse urban club, em que se cria um ambiente quase de country club, mas num centro urbano. O funcio-namento vai depender muito do operador do hotel, que providencie os serviços. Esse parceiro

71