Date a Home Magazine | Jul / Ago / Set 2014 - Page 36

Existem pessoas incríveis. Mas o que faz com que sejam assim? O talento, a criatividade? A humil-dade ou a força de vontade? Ou será algo que ninguém consegue explicar? Uma chama de geni-alidade, que todos sentem mas não conseguem decifrar. Pete Tha Zouk é uma dessas pessoas. A sua arte já pôs o mundo a vibrar, ao som dos mais variados ritmos. Inspira-nos a dançar, a libertar-nos na pista de dança e a deixar fluir a alegria. Como todas as pessoas incríveis, Pete não surgiu por acaso. Ele tem uma missão.

Nasceu em Olhão, na terra do marisco e das férias de verão. Talvez tenha sido o cenário quente a despertar nele o bichinho do ritmo, que o fez mais tarde enveredar pelo cenário musical. Até então, António Pedro Mendonça era um estudante de engenharia eletrotécnica na faculdade. Foi nessa altura que descobriu a paixão “pela arte de fazer as pessoas dançar”. A resposta diz tudo. A verda-deira paixão de um artista não é apenas pela sua arte, mas pela reação que ela provoca nos outros. Já aqui o jovem começava a mostrar de que ma-terial são feitas as pessoas incríveis, da coragem para ser diferente. É que naqueles tempos o DJing era uma área marginal da arte e da cultura, mas isso não o impediu de o adotar como hobby. Hoje, vê com curiosidade as mudanças nas mentali-dades. “É muito interessante que desde aqueles tempos tenha evoluído de tal forma que os DJs são as novas rockstars!”

É desta paixão que nasce Pete Tha Zouk, o nome inspirado nas influencias de ritmos tribais, que mais tarde se complementaram com os mais varia-dos estilos. Se existiram barreiras para a sua entra-da no mundo artístico, não as sentiu como tal. Dá para perceber que a descontração domina a sua personalidade e que tudo para ele surgiu com naturalidade, tanto a paixão pela música como a carreira que a seguiu. Do passatempo para o reconhecimento do público foi um salto do qual nem se deu conta. “Quando dei por mim as pes-soas que me ouviam já me reconheciam pelo DJ que eu era para elas, embora pra mim ainda fosse um hobby.”

No Mitto, e na agora famosa Locomia, iniciou a sua carreira como Dj residente. Na Locomia, na bela praia de Sta. Eulália e com o oceano como paisa-gem, pôde aprender com referências do DJing mundial que aí tocavam durante o verão. E assim

36

REPORTAGEM | Personalidades | Pessoas Incríveis Não Surgem Por Acaso