Date a Home Magazine | Jan / Fev 2014 - Page 87

Amor À Primeira Vis(i)ta | Arrendar Com Paixão | REPORTAGEM

Teresa, de 33 anos, amante dos livros e da escrita identificou-se imediatamente com o projeto. “Uns amigos falaram-me da página no facebook e dis-seram que eu ia gostar imenso, porque além de mostrarem as casas com uma decoração espeta- cular, usavam as palavras para descrevê-las. Tem tudo a ver comigo.”

Teresa fala empolgada do primeiro contacto com o conceito. Daí até ao 1º encontro foi apenas a distância de um click. Teresa envolveu-se nas palavras e imagens deste T1, cuja banda sonora, Somewhere only we know, dos Keane, a convi-dava para um lugar só deles.

Teresa considera-se uma pessoa decidida. À pri-meira vista sabe logo se gosta ou não de algo. Neste caso, a paixão foi imediata. “Achei que era a minha cara.”

Contra todos os seus planos, marcou uma visita. Teresa já tinha alguns pertences e não procurava uma casa mobilada. Mas era tarde demais. Foi um tiro certeiro do cupido. “Olhei para a casa e gostei de tudo na decoração.” Decidiu que isto não era o suficiente para condenar à partida este amor e pensou: “Vou conseguir!”, relembra, com o mesmo entusiasmo que explica ter sentido na altura.

Foi Amor à primeira Vis(i)ta

Na primeira visita Teresa estava ansiosa. Mas quando conheceu o cupido Bruno e Ana, a proprietária, a empatia foi evidente. A visita até excedeu o tempo previsto. Quando estamos felizes sentimos que o tempo passa mais rápido. Para os intervenientes deste primeiro encontro o tempo voou. Partilharam-se ideias, sentimentos, formas de estar na vida. Teresa encontrou o apartamento dos seus sonhos, mas também co-nheceu alguém com quem se identificou. E foi assim que o T1 romântico encontrou uma pessoa que, tal como a sua proprietária, se deixou morrer de amores por ele.

Para Teresa, a visita confirmou o primeiro olhar. “A primeira coisa que me lembro de ter dito foi que a casa era exatamente como vi nas fotografias”.

87