Cultura RPG - Page 36

36

women empowerment

minos com atributos sexuais exage-rados. Qual é a sua opinião sobre o apelo sexual aos personagens femi-ninos na indústria do RPG, tanto digi-tal como analógico? Há alguma determinante social ou psicológica para isso?

PO: É interessante pensar nos motivos que levam a indústria dos games a crer que avatares femininos hipersexualizados são mais vendá-veis. Se existe oferta é porque a de-

manda está aí! Pensemos assim: um jovem passa 5 ou 6 horas por dia na escola e esse mesmo número de ho-ras jogando, o que nos dá um ensino paralelo acontecendo. É impossível separar o que se passa nos jogos do que vivemos como sociedade.

CRPG: Existe possibilidade de interpretação não preconceituosa em um jogo de RPG?

PO: Estamos aí na luta, estamos tentando. A dica que eu dou é não se desgastar com jogador babaca. Existe um mundo inteiro de mesas e sistemas pra rolarmos nossos dados.

CRPG: Você teria alguma dica de como lidar com um relacionamento em que um dos parceiros não deixa o outro jogar RPG?

PO: Se uma pessoa está em um relacionamento afetivo em que o parceiro não a deixa fazer alguma coisa, considerando que essa coisa não seja perigosa ou permanente-mente danosa, a única dica que eu tenho é: sai dessa que é cilada. Faz o que você quiser.

CRPG: Tendo em vista os relacio-namentos interpessoais, qual é o fu-turo que você vê para as mulheres que jogam RPG?

PO: Penso que nós mulheres joga-doras de Roleplay vamos ser cada vez mais eficazes em nossas ações rotineiras, uma vez que tudo que en-volve o hobby nos exige provar que somos boas o bastante para estar-mos aí. É muito estudo, muita segu-rança na fala e acima de tudo, muita vontade de jogar, sempre! Essas habilidades e características vêm conosco pra todos os âmbitos da nossa vida, são desafios que nos tornam pessoas melhores.

CRPG: Sobre o aspecto didático do RPG, como professora, você con-sidera que o RPG pode auxiliar em suas aulas de linguagem?

PO: Eu sempre utilizei as técnicas do RPG em sala de aula, existem relações interpessoais que desen-volvemos numa mesa de jogo que nos dão vontade de falar, de partici-par da situação e isso aplicado num ambiente de aprendizado de línguas acelera muito a fluência do aluno!

CRPG: Deixe uma mensagem para nós!

PO: O Museu do RPG está de parabéns pelo aniversário e pelo sucesso do projeto, esse é com certeza apenas o primeiro ano de uma idéia pioneira que já nasceu apontada pro sucesso. Parabéns à Pri pelo trabalho e obrigada, de coração, pela oportunidade de participar.