Cultura RPG - Page 23

dificuldade de entender cultura e co-mo ela também é um produto, fica realmente difícil falar qualquer coisa do mercado cultural. Possível é, já que temos muita gente batalhando pra viver do seu trabalho, mas, como a maioria dos meios no nosso país, não é fácil.

CRPG: Quais são os seus pro-jetos atuais?

RS: Por enquanto, estou abraçan-do vários projetos na Jambô Editora, relacionados com quadrinhos, litera-tura e RPG. A Jambô vem fazendo um baita trabalho legal, com mais de 20 lançamentos por ano (relaciona-dos a RPG e fantasia e literatura), o que é um número pra lá de respei-tável. Estou pra lá de feliz e honrado de fazer parte dessa equipe com uma história de sucesso única na história do RPG nacional.

CRPG: Qual é o futuro que você vê para o RPG na era digital?

RS: Ao contrário do que alguns urubus do meio fazem questão de ficar repetindo, a era digital está sendo de importância vital pro RPG. As novas ferramentas da era digital ajudaram a espalhar o hobby para novas gerações e deram suporte para jogadores das antigas a conti-nuar jogando. Muita gente reclamava que não tinha tempo para se reunir com os amigos, e a internet ajuda nisso. Livros difíceis de se conseguir agora estão mais acessíveis, pesso-

23

Muita gente reclamava que não tinha tempo para se reunir com os amigos, e a internet ajuda nisso.