BLOGAZINE - Page 46

46 | Entrevista Entrevista | 47 Entrevista a: RICARDO RODRIGUES Por: Catarina, Rititi & Margarida Às vezes não temos a certeza que produto usar, outras vezes temos preguiça a mais mas todos sabemos que tratar da nossa pele é uma necessidade diária obrigatória! Curioso e interessado por natureza, o blogger Ricardo Rodrigues, consciente dessa (e mais alguma) realidade, criou um blogue, juntamente com a Helena Pinto – o “Perfect Skin”. Vamos descobrir mais acerca deste Mestre em Ciências Farmacêuticas. Blogazine: Desde quando é que soubeste que querias seguir Farmácia? Ricardo: É curiosa a pergunta, uma vez que quando andava na escola primária eu queria ter uma profissão ligada a artes. Digamos que quando estava no meu nono ano, e depois de fazer todos os testes vocacionais que existiam na altura, a área que mais se adequou às minhas preferências foi a da saúde. Aliado a isto, sempre tive boas notas na escola e, apesar de muitas pessoas dizerem que eu devia seguir medicina, não me via (e continuo a não me ver) nessa profissão. Comecei a gostar mais de anatomia e de química, de como é que as moléculas se formam e como é que determinada molécula tem determinado efeito no nosso organismo (entre outros aspetos) e então Ciências Farmacêuticas foi a opção que fez mais sentido na altura. B: O que te fascina nesse mundo? R: Fascina-me como é que “algo tão pequeno” tem um efeito de “grandes dimensões” no nosso organismo, ou seja, é curioso e bastante interessante perceber como é que os fármacos, uma vez administrados, “sabem” onde devem ir e exercer o seu efeito. Fazendo a ponte para a minha área profissional – Farmácia Comunitária – o que mais me fascina neste mundo é o facto de poder ajudar as pessoas, visto estas recorrerem à farmácia para tratar de problemas menores e, assim, evitar a visita ao médico. Recentemente, saiu uma notícia que diz isso mesmo – que os farmacêuticos pouparam milhares de euros ao Estado por terem resolvido grande parte dos transtornos menores de saúde. Infelizmente, e na minha opinião, é uma profissão que não é devidamente valorizada por parte da comunidade em geral. Nós (farmacêuticos) estamos aqui para ajudar as pessoas e conseguimos fazê-lo na maior parte das vezes. Claro que quando os problemas são mais graves, temos obviamente que direcionar a pessoa ao médico. Pena que existam pessoas que não entendam isso. B: E a decisão de criar um blogue, em que ponto surgiu na tua vida? R: Eu tenho amigos que têm blogues e houve uma oportunidade de eu fazer parte da equipa de um blogue que existia na altura mas depois vi que não fazia muito sentido entrar num projeto que já ia a meio então decidi criar algo do início. Como uma das minhas paixões é a dermocosmética e patologias de pele, e sabendo eu que este mundo é representado maioritariamente por mulheres, em conversa com a Helena (a outra autora do Perfect Skin) decidimos “entrar juntos de cabeça” neste projeto que agora já tem mais de um ano e meio e tem corrido bem. Felizmente, temos tido o apoio de algumas marcas de dermofarmácia e cosmética, e pretendemos que o Perfect Skin seja uma referência dentro de blogues desta área, uma vez que estamos a falar de um blogue que é escrito por dois farmacêuticos, com formação especializada na área (este ano tirei uma Pós-graduação em Dermatocosmetologia), e que poderão falar e esclarecer todas e quaisquer dúvidas que os nossos leitores possam ter. É só entrar em contacto connosco que nós ajudamos. B: Que conteúdo é que os leitores podem encontrar no Perfect Skin? R: Os leitores poderão encontrar no Perfect Skin a descrição de algumas patologias da pele e do cabelo e quais são, na nossa opinião (com base nas nossas experiências pessoal e profissional), os produtos que existem no mercado que melhor dão resposta às patologias referidas, bem como a justificação de os mesmos estarem a ser recomendados por nós. B: Qual é a tua opinião em relação aos cuidados que as mulheres portuguesas têm? R: Ui, essa pergunta é para “pegar fogo” (risos). Há mulheres e mulheres mas atenção: há cada vez mais homens que se preocupam com a sua pele e com a sua imagem. Começamos a verificar que há cada vez mais homens que procuram um bom cuidado hidratante, um cuidado antirrugas, protetor solar ou cuidados capilares antiqueda. Voltando à questão inicial, tal como eu disse, há mulheres e mulheres. Há mulheres que começaram a cuidar-se desde muito cedo, ou porque tiveram acne na adolescência - e isso obrigou-as a ter cuidado com a pele – ou porque começam a maquilhar-se e verificam que se colocarem maquilhagem numa pele que não está devidamente limpa e hidratada (nem imaginam o número de mulheres que o fazem), começam a surgir algumas reações não muito agradáveis. Existem ainda aquelas que espontaneamente entram na Farmácia e pedem-nos aconselhamento – e nós aí começamos a fazer umas quantas questões-chave e ficamos a saber o que a preocupa, o que ela procura, o tipo e o estado da pele e o tipo de pessoa que é. Por exemplo, uma mulher que não queira perder muito tempo a cuidar da pele, não faz sentido eu estar a aconselhar um leite de limpeza, depois aplicar um tónico, depois o sérum, o contorno de olhos, o hidratante de rosto e o fotoprotetor no fim. Não!