BLOGAZINE - Page 44

44 | Entrevista Entrevista | 45 B: E por trás do blogue, quem é o Miguel? M: Por trás do blog, o Miguel é exatamente o mesmo. Tudo o que escrevo, tudo o que partilho acerca de mim nos outfit posts semanais é aquilo que eu sou na vida real. Tal como não existem tabus, também não existem máscaras. Sou o Miguel dos sorrisos, das conversas profundas, da família que tanto me enche o coração. O Miguel é aquela pessoa pacata, algo ponderada e com uma vontade enorme em aprender. consigo expressar muito bem em relação a esta época porque tudo em mim tilinta com os sinos natalícios (risos). Adoro a reunião à mesa, o mágico encanto das 12 badaladas, as decorações, a preparação dos doces. Vibro com tudo isto!! As melhores recordações serão sempre as de infância, dada a maior magia que existia. Os Natais cá em casa são sempre muito especiais e todos são diferentes. Vale precisamente por isso. B: Quais as tuas maiores qualidades e defeitos? M: Esta será, talvez, a pergunta mais complicada de responder porque só uma pessoa que se conheça muito bem e que tenha confiança em si próprio é que consegue responder. Como não sou assim, tive de pensar. Em termos de qualidades, creio que posso destacar o facto de ser muito empenhado, de ser humilde e de ser transparente. Sou uma pessoa super organizada, atenta e com uma vontade de aprender do tamanho do mundo. Ser persistente e teimoso também considero como qualidades porque sempre me ensinaram a lutar por aquilo em que acredito, independentemente de tudo. No que toca a defeitos, destaco a minha insegurança e o meu demasiado apego às pessoas. B: Qual foi o pior momento da tua vida? M: Não quero falar muito dos meus problemas pessoais mas tornei isto publico e não me importo de partilhar convosco. O facto de não ter entrado em Doutoramento – como tanto, tanto queria -, foi um murro no estômago. Desabei, chorei e deixei de acreditar em mim. Mas, como tudo na vida tem um lado bom, tirei um aspeto positivo no meio disto tudo: todos conseguimos o que queremos, basta acreditarmos e lutarmos por isso. E foi isso que fiz… Não baixei os braços e, tal como os meus seguidores disseram, “Se não foi este ano, será no próximo! O que importa é que nunca deixes de lutar e de acreditar naquilo que realmente és e queres”. B: Em época de festas, diz-nos, o que é para ti o Natal e quais são as tuas melhores recordações? M: O Natal, para mim, é a melhor época de todas. Não só pelas prendas como também pela família, pelo espírito e pela magia que se sente. Não me ‘Por trás do blog, o Miguel é exatamente o mesmo. Tudo o que escrevo, tud