A Capitolina 5, maio 2014 - Page 16

Por Dimas Siqueira Silva

O

detratores ou defensores

15 A Capitolina

termo “gótico” é um adjetivo que se refere a tribo dos Godos, povo de cultura germânica que habitava a região do baixo Danúbio. A literatura gótica teve inicio no século XVIII, na Inglaterra, com a obra “O Castelo de Otranto” (1764), de Horace Walpole. A partir daí escritos góticos começaram a ficar comuns quando a loucura pelo gótico literário atingiu seu auge na Grã-Bretanha. Outra grande obra deste período foi “O Califa Maldito”, de William Beckford, este, por sinal foi considerada a bíblia de Edgar Allan Poe, considerado o precursor e pai do gênero, mas o fato é que os contos de Poe são de um terror narrado de forma inteligente e astuta, onde o leitor mergulha em um mundo intrincado de tramas originais e assustadoras. Muitas de suas obras se transformaram em filmes e inspirações artísticas como: O corvo; A queda da casa de Usher; Os assassinatos da rua Morgue; Coração denunciador; O gato preto; entre outros.

A literatura gótica teve grande ascensão na 2ª geração do romantismo, conhecido também como o “Mal do Século” e marcado pelo pessimismo, pela melancolia e fuga da realidade. Podemos citar alguns nomes importantes como: Lord Byron que reunido com alguns amigos lendo histórias alemãs de fantasmas sugeriu que cada um escrevesse seu próprio conto sobrenatural, nisso Mary Shelley criou “Frankenstein”.

Com a publicação do livro “As Flores do Mal” de Charles Baudelaire desencadeou uma era intelectual mórbida e obscura em torno da poesia ultrarromântica, que inspirou diversos escritores brasileiros como Augusto dos Anjos, Álvares de Azevedo, entre muitos outros... Bram Stoker criou o personagem Drácula, inspirado no Conde Vlad III, o empalador. E H. P. Lovecraft foi um dos mais celebrados autores de horror, sua obra gótica mesclada estruturalmente com as formas da ficção científica. O mito em torno do autor é tão grande que recebeu homenagens de bandas como Iron Maiden e Metallica. Outro grande nome é o da escritora Anne Rice que também teve seus livros transformados em filmes como: “Entrevista com o Vampiro” e “A Rainha dos Condenados”. Anne relatou que escreveu o livro “Entrevista com o Vampiro” em apenas uma semana, após a morte de sua filha, que é retratada e inspirada na personagem Cláudia. Anne Rice esteve presente aqui no Brasil na 15ª Bienal do Livro de Paraty/RJ.

Nos dias atuais é grande a procura por livros de narrativas fantásticas, assim como é crescente o número de escritores que aderem a essa arte. A escrita gótica não é apenas uma questão de estilo literário, mas também uma expressão fiel da maneira de como se vive, um resultado do modo de como se entende o mundo. Uma disposição existencial mais lúgubre. Pode-se notar que a literatura gótica é, em grande parte, uma literatura ligada à psicologia do terror, do medo, da loucura, do imaginário sobrenatural, fantasmas, demônios, etc...

Hoje vários escritores brasileiros têm se destacado no meio literário com seus contos e histórias ligadas ao mundo do imaginário com narrativas que evocam o fantástico contando histórias de vampiros, fantasmas e cavalaria. Tendo muitos escritores alcançado sucesso em suas obras.

A Literatira

Gotica

e as

Narrativas

Fantasticas